quarta-feira, 25 de junho de 2008

Post sobre nada

Como diria Jerry Seinfeld, esse programa é sobre nada. Nada? É, nada. Se o nada tem nome, logo o nada deixa de ser nada e torna-se algo e esse algo é o nada.

Não entendeu? Esta filosófico demais para você? Explico então:

Como podemos saber que algo realmente existe? Porque tocamos nele? Porque enxergamos ele? Como Morpheus explicou para Neo, isto são apenas estímulos nos nossos sentidos, e eles podem ser facilmente enganados.

Um dia um amigo meu disse: Não se preocupe com isso Glaucio, tudo não passa de ilusão. Será que realmente vivemos num mundo ou o que está envolta de mim é a meramente a minha imaginação.
Podemos ser apenas cérebros num barril (Hilary Whitehall Putnam) onde um computador pode estar criando as imagens que vemos e sentimos (lembram de matrix?). A imagem abaixo diz tudo.
Quando iremos deixar de olhar para as sombras nas paredes do universo? Alguém se habilita a olhar para trás? Dar um passo fora da caverna de Platão?

Já sabemos através de Einstein que energia e matéria são a mesma coisa e se finalmente os Bósons de Higgs forem comprovados (leiam a matéria da Veja desta semana), teremos certeza que tudo e nada são expressões de uma mesma coisa.

Viagem? Absurdo? Alucinações? Nada disso, mera filosofia. ;-)

Até

Um comentário:

Lobo da Estepe disse...

Caramba... onde estava presa toda esta divagação filosófica meu amigo?
Ler teus posts é um bom exercício mental. Até me empolguei em voltar a escrever...

abraço,

Lobo da Estepe