segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Terminei de ler Watchmen

Olá a todos,

Terminei de ler o romance gráfico Watchmen de Allan Moore (inclusive já havia feito dois post sobre o assunto e agora chego ao meu review final), e lhes digo o seguinte:

A estória é amplamente complexa, apesar de uma aparente simplicidade; as "entrelinhas" são extremamente ricas, e a quantidade de pequenos detalhes que cada quadrinho, pensamento, ação e narrativa apresentam só são notados por poucos; acho realmente improvável que um nerd comum consiga achar todas elas :-).

A pouco lí um comentário na net, que me deixou empolgado: Kevin Smith (nerd master também conhecido como Silent Bob) gostou do que viu até agora da adaptação para o cinema. Vejam o artigo no omelete.

Mas confesso que não achei aquilo tudo não, talvez o problema seja que a estória esteja meio datada já (xii, lá vem comentários inflamados), digo isso porque toda a tensão gira principalmente em torno da guerra fria (época que os EUA e a URSS estavam ambas com o "dedo no botão" para iniciar a guerra atômica). Lembro bem como era, havia momentos que não sabíamos se haveria o dia de amanhã (no próprio livro do Larry Gonick, ele sugeriu para nos deitar no chão e assistir ao espetáculo dos mísseis passando nos momentos restantes.). Só que isso não é mais realidade. É quase como falar de inflação, a maioria das pessoas não sabem ou não lembram a sensação de 80% ao mês (e reclamam de hoje em dia). E como a Guerra Fria não nos causa mais um certo medo, parte do suspense e agonia da estória se esvai. E o filme vai ambientar a mesma época para ficar o mais fiel possível.

Outra coisa, após terminar de ler, passei a gostar menos da série Heroes. Antes achava uma estória interessante, agora noto que ela não é original em praticamente nada. Eu não gostaria de incluir spoilers neste post, mas a explosão de Nova Iorque em Heroes foi copiado na maior cara de pau de Watchmen, e eu achava que eles só tinham copiado X-Men e The 4400. Que mais será que copiaram? Puxa gente, vamos ser mais originais, ou a capacidade mental destes produtores e roteiristas esta se esvaindo? Pior que fazem sucesso.

Mas voltando à Watchmen, outra detalhe interessante que não sei como Zack Snyder vai resolver, são as estórias dentro da estória. Tem o passado do Homens Minuto que é contata por artigos supostamente anexada aos quadrinhos e tem também uma que essa vai ser bem difícil: Ao lado da banca de jornais que aparece corriqueiramente, tem um rapaz que esta com um gibi, e acompanhamos em pequenos capítulos a estória que ele esta lendo (uma estória de piratas). Esse gibi é quase que uma homenagem a arte e estórias de quadrinhos da época. Não queria estar na pele deste diretor, pois ele vai ter que suar um bocado (mesmo que com o aparente espanto que Kevin Smith teve ao ver o que já esta pronto do filme) pra atender os fãs que empunham esse romance como uma espécie de livro sagrado de um culto nerd alternativo.

Nota pra estória: 9 para a época, 7 para hoje em dia. Infelizmente ela esta datada e envelhecida apesar de ter sido um marco no lançamento.

p.s.: Não sei se notaram, inclui aqui a direita a informação do que estou lendo no momento, já iniciei o Elo de Alexandria (continuação de O Legado dos Templários) e os poucos capítulos que li já me surpreenderam.

Um comentário:

Guilherme disse...

A história em quadrinhos vai ser mostrada em um animação a parte, a ser lançada junto com o DVD do filme.